Entre Pincéis - Feito a mão



Nome: Aline Carvalho
Idade: 27 anos
Marca: Entre Pincéis - Feito a mão
Local: Santo André - SP

"Crafter" como hobbie ou profissão?
Como profissão.

Descreva o seu universo craft:
Hoje me dedico a trabalhar com caixas forradas com tecido e a técnica Carton Mousse, claro que se eu receber alguma encomenda faço peças em outras técnicas, deixo a critério do cliente. Além de vender minhas peças, vendo materiais para que outras artesãs que não encontram esses materiais nas suas cidades possam produzir suas artes também.

E foi assim tudo começou:
O artesanato como profissão começou no interesse das pessoas em comprar mihas peças, que antes eram feitas por hobbie. É um universo que me identifico muito, vivo e respiro artesanato, acho que não poderia ter sido diferente.

Como a sua marca surgiu?
"Entre Pincéis" surgiu com a criação do meu blog, quebrei muito a cabeça para chegar nesse nome e o ponto decisivo para a escolha foi o fato de que eu amo viver rodeada de pincéis e ferramentas do artesanato. Como o título foi bem aceito e eu passei a ser chamada de "Aline do Entre Pincéis", ficou! rsrs...


Quais são suas fontes de inspiração?
Me inspiro na beleza das coisas, nas cores e harmonia da natureza. Gosto muito de cores, de misturá-las e ver no que dá, a partir daí vou criando uma nova peça. E isso acontece com os tecidos também, apesar de não ser a ordem correta, às vezes acabo escolhendo primeiro os tecidos que quero usar e só depois pensar em alguma figura para a tampa.

Conte sobre os materiais e as cores que mais te encantam:
Os materiais que mais me encantam são minhas ferramentas de trabalho e tecidos. Tecidos são um verdadeiro vício, são lindos, cheirosos e se a conta bancária deixasse eu compraria todos os dias. Quanto a cores, não tenho uma combinação preferida, amo todas e cada dia dependendo do meu humor estou mais para umas do que para outras.



Quais suas preferências ao criar?

Em se tratando de tecidos, faço mil e uma combinações, adoro! Porém se formos falar de pintura mesmo, gosto de coisas discretas, tudo branco em pátina ou tudo marrom imitando madeira e o charme deixar por conta de algum detalhe a mais na peça.

Você trabalha sozinha ou possue uma equipe? Conte um pouco como é sua rotina de trabalho:

Trabalho sozinha. Crio peças para vender e faço outras por encomenda. Tem dias que fico pouco no meu atelier, e outros fico quase o tempo todo. Depende muito da época e das encomendas.

Ao caminhar, quais são seus projetos e ideais?

Tenho um grande projeto em mente, mas é coisa para o futuro, não vou entrar em mais detalhes pois quando tenho planos não gosto de falar sobre eles, apenas quando se concretizam, não que eu seja superticiosa....rsrs...

De novo mesmo, por agora, é o fato de eu estar pensando em voltar a dar aulas de artesanato.

Sua sugestão para quem está iniciando:

Vou falar o que falava para minhas alunas iniciantes: independente do que você vá fazer, faça bem feito. Se vaiproduzir uma peça, limpe bem, lixe bem e pinte bem, sem preguiça, faça sem pressa e dedicando carinho a cada uma delas. Quando pego uma peça de artesanato na mão consigo sentir se o artesão fez aquilo "apenas para vender" ou se ali tem algo a mais. E é esse algo a mais que define um artesão de sucesso.

Uma dica(s) sua de artesanato (na prática):

Sempre lixe o mdf depois da primeira demão de tinta e depois lixe quantas vezes mais forem necessárias, para que no final a peça esteja lisinha. Nas bordas use uma lixa mais grossa como a 220 e no corpo da peça uma mais fina como a 400.


Na sua opinião qual o diferencial do artesanato do seu país com o artesanato de outras partes do mundo?
Acho que em todos os lugares existem artesãos talentosos ou não, o que diferencia é a cultura mesmo, o que encontramos aqui não encontramos lá fora muitas das vezes e vice-versa. Cada um com suas diferenças.

Se você fosse um aviamento (um material de trabalho), qual seria?
Um tecido, bem colorido e cheiroso....=D

Uma pequena lição de vida:
Nunca despreze ou desvalorize seu artesanato e nem o dos outros. Aqui no Brasil existe uma cultura ruim de desvalorizar o que é feito a mão, de achar que aquilo deve custar pouco, porém depende de nós artesãos valorizarmos o que é nosso e cobrarmos sempre um valor justo no nosso trabalho. Dando um exemplo meu, tem caixas que levo um dia todo para fazer e se formos pensar nas outras profissões, quanto vale por aí um dia de trabalho? E por que o meu deveria valer menos?

Como a internet influencia o seu trabalho?

De todas as formas, é a minha porta para o mundo, é como chego na casa de inúmeras pessoas do mundo todo.

Qual o endereço do seu blog?

http://entrepinceis.blogspot.com/

8 comentários:

Larissa Nascimento disse...

Muito lindo o artesanato, esta técnica é maravilhosa! Parabéns pelo trabalho!

Sue Paula disse...

Carine e Quiane, bom dia!

Td tão linnnndo! Lá vou eu conhecer o blog todinho...

Abracinhos
Sue

Carine Gimenez disse...

Ótima entrevista.
O trabalho da Aline é lindo, e concordo com ela sobre valorizar a peça produzida. Precisamos mudar essa "imagem" de que o trabalho artesanal é simples, fácil, portanto inferior à qualquer outro.

Aline disse...

Que delícia!!! Obrigada mais uma vez pelo convite meninas!
Sucesso sempre!!
Grande beijo

Lígia Mendonça disse...

Adorei a entrevista com Aline! Conheço o blog dala há algum tempo, comprei materiais com ela já, mas saber mais sobre ela foi mto legal!
Beijos

Mãe da Rita disse...

Adorei!
Vou já espreitar o blog da Aline :-)

Andreia disse...

A Aline é uma fofa e faz coisas lindas!! E tbém é muito bonita!
bjos
Andreia
http://artedacaixa.blogspot.com

Nara disse...

A Aline, é sem nenhuma dúvida uma pessoa muito talentosa, muito mesmo, e uma pessoa muito, muito querida. Tudo o que é feito por ela, é tão lindo, que chega a parecer mágica. O trabalho dela é perfeito, muito bem acabado e lindo. Bjs.

add